Domingo, 26 de outubro de 2014
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

É hora de folia!

Por Lucy Casolari *


As férias parecem intermináveis, o que fazer com as crianças? Promover passeios todos os dias é impraticável, deixá-los na frente da TV nem um pouco produtivo. Que tal pensar em brincadeiras simples, mas capazes de entretê-los por longos períodos?

Fazendo um pequeno esforço certamente as lembranças da infância virão à sua cabeça. Considerando que muita coisa será esquecida, pois a memória é seletiva e prega as suas peças, é provável que a imagem de brincadeiras sem a supervisão e interferência de adultos marque presença. Claro, os tempos eram outros, as famílias tinham mais filhos, os espaços eram maiores, as casas tinham quintais, brincar na rua era tranqüilo e comum, não havia tanta violência.


Sem saudosismo, será impossível proporcionar um pouco dessas brincadeiras? Não é tão complicado e o resultado fará muito bem a todos, filhos e pais.

Transformando o bando em equipe

Algumas atividades precisam de muitas crianças, portanto vale juntar os vizinhos, os primos, os coleguinhas da escola. No seu condomínio, na praia ou na fazenda. Casinha, escolinha, desfile de modas, cabaninha, supermercado, teatro e mais tudo o que eles possam inventar! A criatividade desses meninos não tem fim mesmo, é só começar.


Combinar algumas regras é necessário para que tudo possa rolar tranqüilamente, com a mínima interferência dos adultos. Assim, defina com eles que espaços estão liberados e que objetos da casa podem ser usados. É provável que você precise abrir, por exemplo, um armário de roupas para brincar de desfile de modas, ou parte da despensa para o supermercado. Se a proposta for a montagem de um teatro e houver uma apresentação, prestigie os atores e toda a equipe com sua presença.


Deixe bem claro desde o início que, quando terminar a brincadeira, todas as crianças precisam fazer a sua parte, ajudando a arrumar e guardar tudo o que foi usado. Brincar é uma delícia mas se, no final, ficar a maior bagunça até a mãe mais disposta vai desanimar e não desejará repetir a experiência. Portanto seja firme, mas colabore com a organização dos brinquedos e outros objetos, pois é mais importante que cada criança faça um pouquinho do que fique tudo perfeito sem a participação de todos.

Cantinho das artes

Alguns materiais - pincéis, tintas, papéis variados, giz de cera, massas para modelagem, argila, tesoura, cola e fios de todos tipos - podem ser oferecidos para formar um cantinho de artes. Um espaço de importância destinado a entreter produtivamente a garotada. Sucatas são a base para atividades de construção; vale usar caixas variadas, embalagens de plástico, bandejas de isopor, palitos, rolhas e tudo o mais. Daí sairão monstros, robôs, bonecos, animais reais ou imaginários, barcos, carros, enfim a concretização de muitas fantasias. O contato com a variedade de materiais e a liberdade para utilizá-los abrem um espaço importante para o desenvolvimento da criatividade e a expressão dos sentimentos.


Cuide apenas para combinar com seu filho os limites físicos dessa oficina informal, pode ser a área de serviço ou quintal. Forre a mesa com jornal, coloque os materiais à disposição evitando, assim, que sua gangue pinte o sete por toda a casa.


A escolha dos materiais e temas não deve passar por interferências, deixe por conta da criança essas decisões. Procure controlar a vontade de "ensinar". Em caso de dúvidas técnicas é preciso apoiá-la, mas primeiro devolva a questão: deixe seu filho tentar, não queira resolver tudo imediatamente! Afinal, é misturando tintas que se descobrem cores e pesquisando os cortes e colagens que se resolve a melhor maneira de fazer a montagem. A experiência faz parte do processo, aliás, quanto menores as crianças menos importa o resultado.

Brincadeiras de antigamente

Jogos tradicionais podem e devem ser resgatados, pois ainda divertem e muito: damas, dominó, pega-varetas e, para os maiores, xadrez, banco imobiliário e detetive.
Brincadeiras simples como pular elástico, estátua, passa-anel, telefone sem fio, cantigas com rimas e bola, jogo de saquinhos (feitos de tecido e recheados de arroz), concurso de bambolê, entre outras, acompanharam a infância de várias gerações e ainda fazem muito sucesso!


Algumas vezes as escolas incentivam a prática dessas brincadeiras no dia-a-dia, portanto, quando seu filho aparecer em casa com algo desse tipo, aproveite para contar as suas lembranças e brincar com ele se tiver pique. Além de muito divertido, é uma excelente maneira de reforçar o vínculo entre pais e filhos!


* Lucy Casolari é pedagoga e educadora


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Crianças especiais 05/11/2003 às 13:40:00

Classes regulares aceitando alunos com necessidades especiais já são realidade em algumas escolas. Naturalmente, como em toda reformulação, existem dúvidas dos pais. Será positiva a convivência entre crianças com diferenças mais acentuadas?

   
Arte à Primeira Vista: Páginas de uma história 19/09/2014 às 16:34:58

Se você mora em Belo Horizonte ou vai passar por lá nas próximas semanas, não pode deixar de conferir a mostra de arte contemporânea que vai encantar as crianças e os adultos.

   
Proteja sua casa quando for viajar 24/11/2010 às 12:23:35

Você vai viajar nas férias ou no feriado com sua família e deixar sua casa desocupada por alguns dias? Fique atento a regras básicas de segurança que ajudam a proteger o seu patrimônio.

   
Gêmeos, prazeres e desafios 03/01/2001 às 15:35:00

Separar irmãos gêmeos na hora de ir para a escola nem sempre é a conduta mais correta. Tudo vai depender de como eles reagem quando ficam longe um do outro. Saiba, porém, que você pode ajudá-los a desenvolver sua individualidade.

   
Interar-te Atividade gratuita para famílias 29/04/2011 às 11:57:06

Dia 11 de julho, quinta-feira, no MAC USP NOVA SEDE - Ibirapuera! Confira!