Sexta-feira, 22 de agosto de 2014
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Pequenos atletas

Por Sergio Vaz *


A prática regular de esportes traz benefícios à saúde da criança, proporciona momentos de lazer e pode revelar um atleta na família. O ideal é que tenha acompanhamento profissional para o aprimoramento técnico e o desenvolvimento das qualidades naturais.

A cada temporada um esporte vira moda: o vôlei, com a conquista de medalhas olímpicas; a natação, pelas boas colocações de Gustavo Borges; o tênis é coqueluche desde a vitória de Gustavo Küerten em Roland Garros e o futebol, preferência nacional.


Pobres dos pequeninos que, ainda na barriga da mãe, já despertam nos pais o sonho de um filho prodígio. Calma lá, papai! A despeito da sua vontade e da criança, o código do DNA - desoxirribonucleic acid - determina parte da aptidão ou falta dela para a prática de esportes.


Estimule a criança a praticar uma atividade física e observe o comportamento do seu pequeno atleta durante as brincadeiras. Sempre respeite as características individuais e as limitações do seu filhote.

Aptidão precoce para os esportes

A aptidão é composta de habilidades, de capacidades adquiridas ou herdadas e da qualidade inata - nasce com o bebê. A infância é a fase certa para descobrir e desenvolver essas características que podem manifestar talentos intelectuais e motores.


Nos primeiros anos a aptidão para o esporte é identificada; em alguns casos, até nos primeiros meses! O passo seguinte, é dar condições para o desenvolvimento das habilidades: observar o comportamento da criança e aplicar testes.


Bebês na piscina

Ainda na barriga da mãe, envolto pelo líquido amniótico, o bebê já pode mostrar talento de peixinho. Nos primeiros ultrasons, os espasmos musculares do feto devem ser observados: movimentos alternados e simultâneos entre braços e pernas.


O bebê, com alguns meses de vida, mostra familiaridade com a água. Você pode, acompanhado de um profissional de natação para bebês, fazer o teste. A criança é mergulhada e levada ao estado de apnéia - bloqueio da respiração em baixo da água de forma natural ou induzida:


Apnéia natural: o bebê bloqueia a respiração resgatando a lembrança do útero materno.


Apnéia induzida: segure o bebê pelas axilas, com água pelos ombros, de frente para você. Sopre o rostinho dele e, num movimento semicircular rápido e seguro, mergulhe-o e solte-o por alguns instantes para observar os seus movimentos.


A criança reage tentando emergir: movimentos simultâneos sugerem facilidade para os estilos peito e golfinho e movimentos alternados tendência aos nados de costas e crawl.



O exercício é normalmente aplicado pelos pais, porém, nunca submeta a criança a essa experiência sem a orientação de um profissional especializado. Crianças de 3 a 6 anos, na fase inicial da natação, também podem passar pelo teste.

Criança boa de bola

O Brasil é tradicional nos esportes com bola: futebol, vôlei, basquete e, recentemente, o tênis. Há alguns anos, os craques eram descobertos em campinhos de terra e quadras improvisadas nas ruas.


A história mudou e escolinhas, principalmente de futebol, pipocam por todo o país. Com coordenação profissional as crianças desenvolvem técnicas e descobrem qualidades naturais.


Há exercícios que definem qual a perna de apoio, se a criança é destra ou canhota e se a habilidade é com as mãos ou com os pés.


Confira este exercício para crianças de 4 a 6 anos: coloque o pequeno a uma distância de 2 metros da bola, peça para chutar somente com o pé direito por 10 vezes e depois com o esquerdo. O pé que chutar melhor é o da habilidade e o outro é o de apoio. Essa definição é importante, pois, geralmente, crianças com maior habilidade têm seu apoio no pé esquerdo.


Verifique, também, a habilidade das mãos com a bola. Faça o teste a partir dos 4 anos: diga à criança para bater a bola contra o solo com o braço esquerdo por 10 ou 12 vezes, depois com direito, e descubra qual delas apresenta maior habilidade motora.



* Sergio Vaz é fisioterapeuta, preparador físico e professor de educação física. Pós-graduado em fisiologia. sergiopersonal@ig.com.br


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Capoeira, esporte, lazer e educação 05/04/2001 às 17:22:00

Os pequenos aprendem o 'au', aplicam 'meia-lua de frente' e se esquivam para o lado. A capoeira chegou na vida da garotada, pegando carona nos 500 anos do Brasil que reacendeu uma paixão pela cultura nacional.

   
Diversão para a família inteira 08/02/2001 às 14:32:00

Barra Bonita merece o apelido de "Cidade Simpatia". Às margens do Rio Tietê, num trecho já despoluído e de águas muito límpidas, abriga a mais antiga eclusa da América Latina. As crianças adoram visitá-la!

   
Vamos lá, Brasil! 12/08/2004 às 11:52:00

As Olimpíadas trazem à tona valores como patriotismo, companheirismo, dedicação e persistência. Assista à competição junto com seus filhos e aproveite para passar mensagens importantes para eles.

   
Apatia juvenil, em que medida ela é real 28/08/2002 às 14:55:00

No início da adolescência bate aquela preguiça para tudo. O que fazer para "sacudir" essa meninada? Existem saídas?

   
Estresse na academia 17/04/2001 às 14:19:00

Mudança repentina de comportamento, dores pelo corpo e cansaço. Se o pequeno esportista já apresentou algum desses sintomas, é melhor diminuir o ritmo da atividade física.