Segunda-feira, 28 de julho de 2014
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Manual de primeiros socorros

Por Julienne Gananian *


Saiba como agir em casos de acidentes com os seus pequenos ou mesmo com familiares e amigos antes de levá-los ao hospital.

Prevenir acidentes é sempre a melhor solução, mas certas vezes nem os pais conseguem evitar que as crianças corram ao redor da piscina, brinquem com objetos perigosos, com fogo ou com aqueles amiguinhos mais briguentos. Até os adultos, por mais que se cuidem, uma hora ou outra acabam se cortando, caindo, enfim, se machucando. Por isso é fundamental saber como agir em situações de emergência.


Confira as orientações para os acidentes mais comuns, elaboradas pela Dra. Renata Dejtiar Waksman, médica pediatra da Unidade de Primeiro Atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.


Mas lembre-se: essas são, apenas, manobras iniciais para ajudar a vítima. Após a realização dos primeiros socorros, leve o acidentado imediatamente ao pronto-socorro ou hospital.


Aspiração de corpo estranho

Convulsões

Cortes


Fraturas


Ingestão de corpo estranho


Intoxicações


Queimaduras


Sangramento nasal


Trauma de crânio

Fraturas


As crianças mais sapecas se orgulham em dizer "eu já engessei meu braço cinco vezes!" e os amiguinhos fazem a festa no gesso, desenhando ou deixando um recadinho para o acidentado. Mas, na hora em que o acidente acontece, ninguém acha graça nenhuma: a criança chora e os pais ficam preocupados. Veja o que fazer:


  • Em caso de fratura exposta, cubra o ferimento com gaze ou pano limpo. Nunca tente realinhar o membro ou "encaixar" o osso, pois isto agravará a situação;

  • antes de levar ao hospital, imobilize o segmento lesado com uma tábua, papelão ou madeira;

  • ofereça um analgésico se a criança estiver consciente e com dor e a mantenha em jejum, pela possibilidade de cirurgia;

  • eleve, se possível, as áreas inchadas e coloque uma bolsa de gelo por cima;

  • se ocorrer hemorragia, faça uma compressão do local com panos limpos.


    Cortes


    Nunca deixe um ferimento grave aberto por mais de seis horas, caso contrário ele se contaminará, aumentando o risco de infecção. Antes de ir ao pronto-socorro, faça o seguinte:


  • Lave o local com água corrente e comprima levemente com um pano limpo, até parar o sangramento;

  • não coloque medicamentos ou soluções caseiras no local, para evitar alergia ou infecção;

  • se houver necessidade de sutura, ela deverá ser realizada no hospital, com anestesia local. A retirada dos pontos será definida pelo médico, em função do tipo, profundidade, extensão e localização do ferimento.


    Queimaduras


  • A primeira providência a ser tomada é isolar a vítima do agente causador do acidente e, em seguida lavar com água corrente limpa a área queimada;

  • seque o local de forma delicada, utilizando um pano limpo, pedaços de gaze estéril ou compressas. Evite usar algodão;

  • se a roupa estiver grudada na área queimada, tenha muito cuidado. Lave a região até que o tecido possa ser retirado delicadamente, sem aumentar a lesão. Se continuar aderido à pele, recorte-o ao redor do ferimento;

  • se a queimadura ocorreu por exposição a um agente químico ou cáustico, faça o contrário: remova a roupa para evitar que o produto permaneça em contato com a pele;

  • não coloque água muito fria, gelo, sabão ou qualquer produto químico sobre a região lesada. Isso pode agravar a área machucada.

  • proteja o local com um pano de tecido limpo e, se surgirem bolhas, não as rompa;

  • para diminuir o inchaço, mantenha a região mais elevada que o resto do corpo e, se a pessoa sentir muita dor, administre analgésicos comuns.


    Intoxicações


    Tente sempre manter os produtos perigosos fora do alcance das crianças. E, em caso de intoxicações proceda assim:


  • telefone para o centro de informação toxicológica de sua cidade;

  • transporte a vítima para o Pronto Socorro o mais rápido possível e leve o tóxico responsável;

  • não administre líquidos, principalmente se a pessoa estiver sonolenta ou inconsciente;

  • não tente provocar vômitos, especialmente se o produto ingerido for cáustico;

  • certifique-se de que a criança consegue respirar.


    "Se a intoxicação ocorreu por inalação, retire a pessoa do ambiente tóxico, remova suas roupas, sem deixá-la passar frio e procure por queimaduras químicas. Se houver contato, remova as roupas da vítima, lave a região afetada com água corrente e sabão neutro e aplique compressas frias para diminuir a coceira" explica a dra. Renata Waksman.


    Trauma de crânio


    Alguém caiu e bateu a cabeça ou sofreu um grave acidente? Leve imediatamente ao hospital, tomando os seguintes cuidados:


  • se o local estiver sangrando, pressione uma bolsa de gelo ou pano limpo;

  • se a pessoa estiver consciente e respirando, deite-a de lado e coloque os ombros e a cabeça ligeiramente elevados;

  • fique atento para a possibilidade de fratura de crânio, para a presença de dor, sensibilidade e hemorragia no couro cabeludo, além de inchaço ao redor da ferida e perda de consciência.


    "Leve a criança novamente ao pronto-socorro se, no período de observação (12 horas), ela apresentar episódios de náuseas ou vômitos, dor de cabeça ou tontura persistente, sonolência excessiva, palidez, convulsões, tremores ou presença de sangue no nariz, ouvido ou boca" alerta a pediatra.



    Sangramento nasal


    "Meu nariz sangra nos piores lugares ou momentos, como no meio de festas, em provas na escola ou até em restaurantes e eu nunca sei o que fazer!" conta Cesar Ribeiro. Veja como agir neste casos:


  • coloque a pessoa na posição sentada, com o tronco inclinado para frente, para evitar a deglutição de sangue;

  • pressione as narinas, com os dedos em forma de pinça, na região acima da ponta do nariz;

  • se possível, aplique compressas frias. Após alguns minutos afrouxe a pressão vagarosamente e não permita que ela assoe o nariz;

  • se o sangramento persistir por mais de 10 minutos ou recorrer, volte a comprimir a narina e procure o serviço médico.


    Convulsões


    Quando alguém tem uma convulsão geralmente as pessoas à sua volta se assustam e não sabem como ajudar. Veja o que fazer:


  • mantenha a pessoa deitada de lado para que a saliva não se acumule na cavidade oral ou, se ocorrer vômito, para que este não a sufoque. Deite-a de preferência no chão ou numa superfície macia e proteja-a de traumas, mas evite restringir seus movimentos;

  • coloque um travesseiro sob sua cabeça;

  • não realize nenhuma manobra de reanimação cardio-respiratória como respiração boca-a-boca ou massagem cardíaca;

  • registre a duração aproximada da crise;

  • quando os abalos musculares cessarem, certifique-se de que a vítima esteja respirando sem dificuldades;

  • não administre nenhuma medicação ou líquidos até que ela esteja bem desperta;

  • ajude a pessoa a se orientar e, conforme ela readquirir a consciência, diga algumas palavras de encorajamento.


    Ingestão de corpo estranho


    Segundo a dra. Renata Waksman, sempre que alguém ingere um corpo estranho, principalmente quando é uma criança, deve receber atendimento e orientação médica. É importante ressaltar que:


  • não se deve provocar vômitos em nenhuma circunstância;

  • objetos pequenos, plásticos, metálicos, não pontiagudos e não cortantes freqüentemente são eliminados junto com as fezes, sem causar nenhum sintoma;

  • alguns objetos são particularmente perigosos e merecem atenção especial, tais como agulha, vidro, pilhas e baterias. Estes podem se romper e liberar substância tóxica.


    Aspiração de corpo estranho


    Quando se aspira um corpo estranho pela boca, se a pessoa conseguir, estimule-a a forçar a tosse, uma das melhores formas de expulsão.


  • não tente retirar o objeto às cegas, enfiando o dedo na boca, pois este procedimento muitas vezes acaba introduzindo ainda mais o corpo estranho na via aérea da pessoa;

  • se você conseguir visualizar o corpo estranho, retire-o utilizando os dedos polegar e o indicador, num movimento de pinça;

  • se a pessoa não consegue tossir, falar ou chorar e apresenta coloração arroxeada da pele, necessita de manobras imediatas de desobstrução de vias aéreas. Somente pessoas que tenham sido treinadas em cursos específicos, como de Suporte Básico de Vida, podem realizar essas manobras.


    "Leve imediatamente a pessoa ao pronto socorro para garantir que tudo esteja bem, mesmo que já tenha eliminado o corpo estranho. Nenhum tipo de alimentação deve ser oferecido à vítima, até que seja liberada pelo médico" conclui a médica.


  • Comentário:    
           

    Matérias relacionadas

       
    Sol na medida certa 29/01/2001 às 14:13:00

    O sol faz bem à saúde, mas nada de exageros. Nem muito nem tão pouco. Conheça os segredos para manter a pele de seu filhote bem cuidada e longe das agressões das queimaduras.

       
    É melhor prevenir que remediar! 18/12/2000 às 16:09:00

    O ditado é velho, mas nunca deve ser esquecido! Prender as crianças em casa não é garantia de segurança, portanto abra os olhos. Acidentes domésticos podem ser evitados se você tomar algumas providências. Confira!

       
    Dentes saudáveis para sorrir sempre! 26/03/2012 às 11:31:01

    No boletim Clicfilhos deste mês: saúde dos dentes, calendário e preparativos para a Páscoa!

       
    Nem muito, nem pouco 24/04/2001 às 13:53:00

    Na hora de comer, é importante que pais e filhos tenham em mente uma regra: divisão de responsabilidades. Os pais são responsáveis por decidir o que será oferecido à criança, quando e onde. Ao pequeno, cabe decidir o quê, quanto e, até mesmo, se irá comer

       
    Seu filho enxerga bem? 23/01/2001 às 15:47:00

    Fique esperto e observe, desde a primeiríssima infância, se o seu filhote apresenta algum problema de visão. Nem sempre as deficiências oculares são motivo de queixa para eles e só um exame poderá detectá-las.