Quinta-feira, 18 de setembro de 2014
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

Perder, Jamais!

Por Norma Leite Brandão *


Meu filho perdendo? Imagina! Ele é campeão desde cedo e, depois, nesse mundo competitivo não há espaço para perdedores...

"Nunca conheci quem tivesse levado porrada.

Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.


Toda a gente que eu conheço e que fala comigo

Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu um enxovalho,

Nunca foi senão príncipe - todos eles príncipes - na vida...


Arre! Estou farto de semideuses!

Onde é que há gente no mundo?"


Fernando Pessoa, Poema em linha reta


O poeta português sabia das coisas, não sabe? Claro que sim! Você, pai ou mãe, que vive mergulhado em seu mundo profissional reconhece que estamos cercados de semideuses. É um mundo voltado para o sucesso, a qualquer preço. O trabalho lhe diz isso, a TV, os jornais e as revistas também. Para qualquer direção que olhemos, a imagem do sucesso tem que estar presente: o automóvel do vizinho, a roupa de grife do amigo, aquela modelo linda de morrer...



Da aquisição do celular à escolha da escola do filho, tudo parece apontar para o sucesso. Nunca se teve tão pouco dinheiro e se ostentou tanto! O que estará por trás disso?


Bem, como pais, é importante refletir sobre esse mundo que aí está e buscar um posicionamento mais adequado diante de determinadas situações vividas por seu filho. Ou o fazemos agora, quando ainda há tempo, ou perderemos o bonde e perpetuaremos a cultura do sucesso a qualquer preço.

De boas intenções o inferno está cheio...

Sim, os pais sempre agem imbuídos das melhores intenções. Num mundo tão competitivo como o nosso, como não preparar as crianças e jovens com eficiência? Como deixar de cumprir o papel de dar todos os instrumentos para que os filhos se saiam bem no futuro? Nada mais justo, sem dúvida.

Porém, há uma diferença entre oferecer os meios, incentivar, agir com sensibilidade e esperar que, a qualquer custo, as crianças se dêem bem.


Inúmeras vezes os pais não percebem o alto grau de expectativa que possuem em relação aos filhos. Demonstram-no, de forma descabida, no jogo de futebol do campeonato da escola, nas notas do boletim escolar e, até mesmo, ao presenciar cenas de brincadeiras entre seus filhos e demais crianças. Eles se transformam em espelhos, como se os pais quisessem ver nas crianças seus sonhos não realizados. Os filhos se tornam, então, o prolongamento do pai ou da mãe. Nada mais aterrador e sufocante para o garoto ou garota! Como dar conta do que esperam?

Lidar com as frustrações

Não bastasse o sentimento de impotência por parte da criança (que, naturalmente, quer agradar...), quando os pais agem dessa forma, eles se esquecem de três questões fundamentais.


  • Em primeiro lugar: aquele princípio que diz que os filhos são do mundo, que por mais que desejemos orientá-los, temos um limite. Ultrapassá-lo é invadir o espaço do outro, apropriar-se dele.


  • A segunda questão refere-se ao fato de que lidar com perdas é lidar com a frustração, coisa absolutamente necessária para a vida. Indivíduos que desconhecem frustrações e não sabem como administrá-las estão totalmente despreparados para a vida pessoal e profissional. Não têm equilíbrio, eixo, flexibilidade. Não enxergam a si mesmos, nem aos outros. Desconhecem seus limites, pois só vêem a ponta do seu nariz.


  • Por último, uma questão profundamente ligada às anteriores, que reside no fato de que a perda, bem trabalhada, traz crescimento, provoca alterações de rumo e torna o ser humano mais fortalecido e criativo. Pronto para o que der e vier. Perder é entrar em crise. E é do conhecimento de todos que os momentos difíceis abrem caminhos jamais imaginados. Por que não ensinar isso às crianças desde cedo?

    Seres de carne e osso

    Nunca foi tão importante fazer com que os filhos enxerguem seus limites. Há, hoje, uma profunda falta de humildade, de reconhecimento de que não somos super-heróis e de que não damos mesmo conta de tudo. Mas os filhos precisam que os pais também mostrem suas fragilidades, suas necessidades, sua incompetência para fazer algumas coisas.


    Incompetência sim. Se os pais não começarem a apontar suas limitações claramente, das financeiras às emocionais, jamais conseguirão mostrar às crianças o que é batalhar duramente pela vida. A conseqüência? Adultos despreparados para o mundo e suas vicissitudes. Percebeu o que ocorre? Exatamente o inverso do que esperavam: o sucesso.


    Talvez o segredo esteja no equilíbrio de tudo. Possivelmente temos que dar os instrumentos necessários e orientar os filhos para que estes instrumentos sejam usados de forma digna, em benefício de si próprio e do outro.


    A competitividade existirá sempre. Existe na família, na sala de aula, no trabalho. A questão não é eliminá-la, pois isso é impossível. O desafio é lidar com ela de forma limpa, ética, sem prejuízo do outro. No jogo do ter e do ser, embora o primeiro, no momento, esteja ganhando, cabe aos pais reverter o placar. Rápido e urgente. Comece por você, nos pequenos atos do cotidiano. É no pequeno que se faz a grande transformação.


    * Norma Leite Brandão é pedagoga e educadora.


  • Comentário:    
           

    Matérias relacionadas

       
    Como amamentar após o retorno ao trabalho 24/03/2006 às 13:42:00

    A licença maternidade está no fim e logo você terá de voltar ao batente, mas não quer deixar de amamentar seu filho. O que fazer?

       
    Bilhetes e bilhetinhos... 06/09/2001 às 14:20:00

    Na semana passada o seu filho trouxe da escola um bilhete da professora com uma anotação sobre o comportamento inadequado na sala de aula. Hoje chegou outro dando ciência da falta de uma lição. E você, como se sente?

       
    Interar-te Atividade gratuita para famílias 29/04/2011 às 11:57:06

    Dia 11 de julho, quinta-feira, no MAC USP NOVA SEDE - Ibirapuera! Confira!

       
    Histórias da Arte para crianças 08/11/2012 às 18:49:50

    Não tem jeito melhor de conhecer a vida e a obra de artistas contemporâneos brasileiros! Não deixe de levar seu filho!

       
    Milho, o rei dos cereais. E da garotada! 15/09/2003 às 20:36:00

    O milho faz um enorme sucesso entre as crianças e, além de saboroso, é muito nutritivo. Aprenda a fazer doces e salgados deliciosos com esse cereal. As receitas são da turma do Sitio do Picapau Amarelo!