Segunda-feira, 26 de junho de 2017
Página inicial do clicfilhos.com.br
    

A hora e a vez da atividade física

Por Inês Pereira Berman *


Os benefícios trazidos pela prática de atividade física são inúmeros. Seu filho só tem a ganhar, desde que sejam respeitados princípios básicos como a idade certa para iniciar cada modalidade.

Quantos de nós passamos a infância pulando amarelinha ou brincando de pega-pega na rua, livremente? Com certeza muitos. Quantos de nossos filhos podem brincar fora de casa sem nos causar preocupação? Nada de reminiscências, por favor: hoje podemos oferecer-lhes formas muito interessantes de lazer. Esqueça as lembranças e mãos à obra! A prática de atividades físicas deve estar no topo das prioridades dos pais que realmente se preocupam com a qualidade de vida da família. E também vai ser o contraponto para a atividade intelectual. Sem falar nos inúmeros benefícios que traz à saúde.


Não faltam locais que oferecem modalidades esportivas para crianças. As boas escolas contam com equipes especializadas, que sabem equilibrar os potenciais e as limitações de cada idade; turmas mais reduzidas, de modo que cada criança seja assistida mais de perto; acompanhamento pedagógico para orientar a forma correta de conduzir os grupos e respeitar as diferenças individuais; e infra-estrutura adequada - equipamentos modernos e segurança para a prática das atividades. "Se o local não for escolhido criteriosamente, pode prejudicar, em vez de contribuir. Uma natação mal ensinada, por exemplo, pode causar pavor na criança, deixando-a traumatizada. E, nos casos mais drásticos, o trauma é irreversível", avisa Regina Maria Criscuolo Peçanha, coordenadora pedagógica da academia para crianças Bem-Me-Quer, em São Paulo.

A idade certa para começar

Segundo a coordenadora, os esportes, em geral, exigem um grau de aptidão motora que começa aos 5 anos - exceto a natação, que pode ser ensinada aos bebês a partir de 6 meses. O ideal é que, dos 2 aos 5 anos, os pequenos façam uma iniciação lúdica às atividades físicas. Nesse trabalho, são utilizados blocos e bolas de espuma, entre outros objetos, sobre tatames e colchões macios, onde eles desenvolvem a consciência corporal, a coordenação motora, a lateralidade, o equilíbrio e a agilidade. "É preciso levar em conta que, do 0 aos 6, e dos 6 aos 10 anos, a criança vive experiências motoras diferentes. Outro fator é que, a partir dos 6 anos, ela entende melhor as regras dos esportes e, quanto mais perto dos 10, mais se aproxima do ideal técnico", delimita o professor e orientador técnico Paulo Sassi César, da Bem-Me-Quer.


"A maneira como o esporte é ensinado e treinado também faz toda a diferença. A potência muscular deve ser iniciada gradualmente, e o trabalho de força e resistência, totalmente evitado. Durante a infância, o corpo está crescendo e a carga excessiva pode comprometer o desenvolvimento dos ossos e o processo de crescimento", alerta o professor. Nesse sentido, atividades como a musculação não podem ser praticadas antes da adolescência. "E a ginástica olímpica, que enfatiza muito o trabalho muscular, precisa ser introduzida num ritmo bem lento", ele acrescenta. Quanto à freqüência, os profissionais apontam duas ou três vezes por semana como número ideal. "Se a mãe optar por uma freqüência maior, deve tomar o cuidado de alternar as atividades para evitar que a criança se sinta estressada", aconselha Regina Peçanha.



Confira, abaixo, os benefícios e riscos de cada modalidade e a idade a partir da qual pode ser praticada:

Futebol, vôlei, basquete, handebol


IDADE:
5 anos

BENEFÍCIOS:
Trabalham a potência muscular das pernas (especialmente o futebol); melhoram a capacidade cardiovascular, a velocidade de reação, a coordenação motora e a visão periférica; incentivam a socialização, as parcerias, o trabalho em equipe

RISCOS DE LESÕES:
Entorses de tornozelo e joelho (especialmente o futebol); rompimento de ligamentos; luxações, trincas e fraturas nos dedos, especialmente vôlei e basquete



Natação


IDADE:
6 meses

BENEFÍCIOS:
Este esporte completo atua em maior ou menor grau em todas as partes do corpo; melhora a capacidade cardiovascular e respiratória; desintoxica os pulmões; trabalha a consciência corporal e a interação dele com o meio líquido


RISCOS DE LESÕES:
Contratura muscular e problemas no ouvido



Judô, jiu-jitsu, capoeira


IDADE: 5 anos

BENEFÍCIOS: Desenvolvem a coordenação motora, a lateralidade, a flexibilidade e a agilidade, ensinando a cair e mobilizar o outro; trabalham valores como o respeito e a disciplina; melhoram a concentração


RISCOS DE LESÕES: Entorses de tornozelo e joelho; rompimento de ligamentos; luxações



Tênis



IDADE: 5 anos

BENEFÍCIOS: Trabalha a lateralidade, a concentração; desenvolve flexibilidade, velocidade, agilidade, coordenação motora e musculatura


RISCOS DE LESÕES: Entorses de tornozelo e joelho; rompimento de ligamentos; luxações; tendinites



Ginástica olímpica



IDADE: 7 anos


BENEFÍCIOS: Contribui para a boa base motora e psicomotora; aumenta a potência muscular de braços e pernas


RISCOS DE LESÕES: Entorses de tornozelo e joelho; rompimento de ligamentos; luxações. A prática excessiva pode prejudicar o processo de crescimento, por isso é indicada uma ou duas vezes por semana. Se possível, alternada com natação, pois tenciona muito a musculatura e a natação relaxa


Balé



IDADE: 5 anos

BENEFÍCIOS:Estimula a coordenação, a lateralidade; desperta a musicalidade e a criatividade


RISCOS DE LESÕES:Entorses de tornozelo e joelho; rompimento de ligamentos; luxações

Cinco regras básicas para evitar lesões no corpo de seu filho:


  1. Cuidado com a sobrecarga, que pode provocar contraturas, distensões e entorses.
  2. O aquecimento é fundamental antes de iniciar qualquer atividade.
  3. Evitar movimentos que não esteja preparado para fazer.
  4. No caso dos esportes coletivos, não prender a bola.
  5. Não forçar o corpo além de seu limite de resistência.


Comentário:    
       

Matérias relacionadas

   
Capoeira, esporte, lazer e educação 05/04/2001 às 17:22:00

Os pequenos aprendem o 'au', aplicam 'meia-lua de frente' e se esquivam para o lado. A capoeira chegou na vida da garotada, pegando carona nos 500 anos do Brasil que reacendeu uma paixão pela cultura nacional.

   
Desenho, canal de comunicação 20/02/2001 às 14:11:00

Desde pequenas, as crianças se utilizam do desenho como linguagem, para se expressarem e compreenderem o mundo. Conhecer o desenvolvimento de cada uma das fases é uma forma de se aproximar do que está na cabeça e no coração de seu filho.

   
Diversão para a família inteira 08/02/2001 às 14:32:00

Barra Bonita merece o apelido de "Cidade Simpatia". Às margens do Rio Tietê, num trecho já despoluído e de águas muito límpidas, abriga a mais antiga eclusa da América Latina. As crianças adoram visitá-la!

   
Vamos lá, Brasil! 12/08/2004 às 11:52:00

As Olimpíadas trazem à tona valores como patriotismo, companheirismo, dedicação e persistência. Assista à competição junto com seus filhos e aproveite para passar mensagens importantes para eles.

   
Estresse na academia 17/04/2001 às 14:19:00

Mudança repentina de comportamento, dores pelo corpo e cansaço. Se o pequeno esportista já apresentou algum desses sintomas, é melhor diminuir o ritmo da atividade física.